Questão de sobrevivência

Usar a água de forma racional

A água tratada, limpa, para consumo humano, está escasseando, em todo o Planeta. As mudanças climáticas, provocadas pela poluição ambiental, estão desequilibrando o regime de chuvas. Para piorar a situação, o desmatamento nas áreas de proteção às fontes e cursos dágua, o manejo inadequado do solo - através de práticas de monoculturas, os excessos de aração e gradagens, a falta de cobertura e proteção, provocando erosão e enxurradas – fizeram desaparecer milhares de nascentes, assoreando, entupindo centenas de rios, riachos e lagoas.

Nos aglomerados urbanos, a expansão descontrolada das áreas asfaltadas e calçadas, praticamente elimina a absorção das chuvas, a realimentação dos depósitos no subsolo, o que diminui a evaporação e desabastece as nascentes, que vão, ano a ano, desaparecendo. Conseqüentemente, chove menos e o ' ciclo hidrológico,' vital para preservar as condições de habitabilidade do Planeta, não se efetiva de forma natural.

E quando chove, a gigantesca quantidade de lixo produzido pelas populações urbanas, não recolhido, jogado nas calçadas, nas ruas, nos espaços públicos, entope, à cada chuva, a rede de escoamento. Como não há absorção das chuvas, formam-se grandes inundações, que desbarrancam encostas não protegidas pela mata, destruindo moradias, provocando tragédias familiares e coletivas. A poluição escorre para os cursos dágua – que perdem vitalidade, morrem um pouco, diariamente.

Mudanças radicais de comportamento, de padrões de consumo, de atitudes e posturas em relação ao ambiente onde vivemos terão que ser adotadas emergencialmente. Mas, imediatamente, é vital reduzir o desperdício de água tratada, limpa, saudável. É fundamental, também, eliminar processos de poluição, contaminação, descarte de lixo, deposição de substâncias químicas e gordurosas em cursos ou espelhos naturais de águas, canalizadas ou não.

Água potável não pode ser utilizada irresponsavelmente para lavar automóveis, calçadas, paredes, tapetes, molhar plantas, jardins, gramados. Para estas necessidades típicas da civilização urbana, pode-se utilizar água das chuvas, coletadas em calhas nos telhados, armazenadas em caixas fechadas. As águas de banho podem ser reaproveitadas nos vasos sanitários. Nas cozinhas, pode-se reduzir, significativamente os abusos na utilização de água, com pequenas e simples mudanças nas práticas de higiene e limpeza.

A irrigação pode ser racionalizada, é possível aproveitar melhor a energia elétrica gerada pela água, não é difícil impedir a contaminação das águas do subsolo, dos rios e riachos - que multiplicam doenças e mortes prematuras – basta usar a água de forma racional, com bom senso. O site da Rádio Água Internacional disponibiliza um pequeno guia, com idéias simples e práticas para eliminar desperdícios e abusos com a água.